Razao Algo Que busco Em tudo

“Sozinho posso te ver melhor, quando se vai o sol procuro o fio do seu cabelo no lençol. Baixei aquele filme que, cê disse que era bom e vi que nada é tão bom quando cê não ta aqui. Um dia sem você é triste, uma semana é maldade, um mês não existe, dou meus pulos, atravesso a cidade. Junto dinheiro pra financiar a viagem, uma bolacha, um salgadinho, 2 refri e a passagem. Já era, já fui, me espera amor, vou atrasar mais 10 minutos, parar pra te comprar uma flor. E to pronto, na melhor roupa que eu tenho, uma rosa na mão esquerda, na outra mão um cartão com desenho. Correndo pra rodoviária, o buso sai às 9:00, desculpa o cartão molhado, é que Novembro sempre chove à tarde. E hoje a chuva tá bolada, já me sentei, fiz minha oração, se Deus quiser nem pega nada, vai. To indo sentado, vendo as montanha, lembrando que quanto mais você me perde, mais vezes você me ganha. E aquela briga ontem foi foda, eu não queria te dizer, que eu não queria ter você, mas eu queria que você soubesse que eu me importo e que eu sinto que essa chuva é o reflexo do estado do meu corpo. E foi pensando nisso que me joguei pra cá, pra ver se quando eu te encontrar eu faço essa chuva parar. Será que isso é possível? Eu sonhador demais, na entranha dor demais, essa estranha dor é mais do que saudade, é como uma necessidade, de poder ter a certeza que não era verdade o que você disse por telefone, que tava na hora de eu te provar que podia ser o seu homem. Que um menino que nem pode sustentar um lar, nunca seria bom o suficiente pra tu casar. Foi pensando nisso que eu entrei nesse busão, mas talvez eu seja só um menino com uma rosa na mão. E eu te ligo no celular, te avisando que eu tô indo, e te pedindo pra ir lá par me esperar, mas você que nunca disse que me ama, mais uma vez desliga sem dizer, se arruma e vai pra cama. Tudo bem, dorme bem amor, te amo, quando acordar passa perfume que o seu homem tá chegando, vai. A cada segundo a chuva aumenta, nessa poltrona, a cada minuto que eu durmo, eu acordo quarenta. Janela embaçada, tampando minha visão, eu fecho os olhos e praticamente sinto sua respiração. É como o silêncio do meu quarto sem você, culpa dessa distância que me impede de te ver. Me impede de provar que te mereço, e te mostrar que o dinheiro tá pouco, mas que a alegria não tem preço. E eu pensando em você nesse momento, aproveito o tempo, pra treinar o pedido de casamento. Depois da briga, acordei cedo, peguei toda economia e comprei a aliança em segredo. Juntei moeda por moeda, pra poder tá aqui, pra mostrar que um menino pode te fazer sorrir. Te sentir mais uma vez, sentir por uma vez, que achar que eu sou teu sonho não é uma insensatez. Mas pera aí, eu ouço um barulho, o que que tá pegando, a aliança caiu do meu bolso, tudo balançando. Quem tá gritando? Por quê ta girando? Alguém sabe? Tento chamar seu nome, mas minha boca nem abre. Barulho de chuva, pneu, escuridão, lembrar seu rosto se tornou a última opção. Agarro forte a rosa na lama, menino ou homem você me deixou partir sem dizer que me ama. Eu não pensei que fosse pra tão longe essa viagem, toca o celular é você me mandando mensagem, eu preso nas ferragem sem me mexer, sei que você me escreveu mas fecho os olhos sem saber o quê.”
Projota.   (via prestigiador)

(via prestigiador)

“Me acostumei tanto a pensar em você, que quando eu não penso parece que esqueci alguma coisa em casa.”
 Soulstripper.    (via prestigiador)

(Source: inverbos, via prestigiador)

“Eu prefiro ficar longe porque toda vez que fico perto eu me perco, você tem uma facilidade enorme pra me tirar dos eixos. Minhas pernas tremem, meu coração acelera e eu fico sem reação quando estou com você.”
Para alguém que talvez nunca irá ler. (via prestigiador)

(Source: capacitadora, via prestigiador)

“Educação eu tenho, só não tenho paciência. Se me der na telha eu levanto e vou embora, não preciso ficar aturando gente mal amada.”
— Caio Augusto Leite. (via sur-realidade)

(Source: resigno, via truesexxx)

prestigiador:

Esse filme é um curta metragem que ganhou vários prêmios e se chama The Most Beautiful Thing, dirigido e criado por Cameron Covell. Fala sobre amor, acessibilidade e sobre o que é a coisa mais linda do mundo e como se manifesta.

(Source: tipografado)

“Ela não é de sair, beber, fumar ou sair por aí abrindo as pernas pro primeiro que passar. Mas de vez em quando dá uma louca, e ela quer porque quer fazer tudo isso ao mesmo tempo, e no final acaba ficando em casa assistindo um filme idiota com a melhor amiga, comendo brigadeiro ou outras besteiras. Ela sempre foi aquele tipo de mulher que fala o que vem na mente, a menina indecisa e a criança chorona. Ela gosta de avisar pro sete mares quando está feliz, rir para o vento, conversa, brinca, pula e dança com todo mundo. Mas quando está triste gosta de ficar trancada no quarto escuro esperando que alguém perceba sua tristeza e a ajude. Ela sempre sonhou alto, mas tem medo de lutar, lutar, lutar e quando alcançar, descobrir que o sonho não era tão bom assim quanto parecia. Ela já se apaixonou, já odiou e até prometeu alguns de morte. E acredite, ela não fala da boca pra fora. Ela é tão ciumenta que dói. Já acordou no meio da madrugada só pra comer, ler torpedos antigos e pensar. Ama sua cama, e sempre diz “não troco ela por nenhuma outra”, mas já desejou muito estar na cama de outra pessoa. Já ouviu aquele ditado “ruim com ela, pior sem?”, a descreve perfeitamente porque quando se está com ela, é insuportável continuar ali, mas quando ela vai embora, você deseja mil vezes que ela volte. E ao contrário da música do Chorão, ela não é do tipo de mulher que se entrega na primeira, mas melhora na segunda e o paraíso é na terceira, mas ela tem força, ela tem sensibilidade, ela é guerreira, ela é uma deusa, ela é mulher de verdade. Ela é daquelas que tu odeia na primeira, nunca se apaixona na segunda e muito menos perde a linha na terceira. Ela é discreta, vez ou outra ler um livro, mas quando começa um, quer logo cem. Há dias em que ela acorda com os dois pés esquerdos, já em outros parece que ganhou sozinha na megassena. Sabe aquelas patricinhas chatas, que chegam a dar nojo? Pois é, às vezes ela é assim. Tem dias que ela parece um homem, coloca o short do pai, a blusa do melhor amigo, se senta no sofá e só sai de lá carregada ou com um grito da mãe. Se você for legal com ela, ela vai ser arrogante com você, se você for arrogante com ela, ela vai ser arrogante em dobro, simples assim. Ela quer falar várias línguas, ter um futuro brilhante, uma família perfeita com defeitos, ela quer mostrar pra sociedade o quão ela pode ser diferente. Ela não quer crescer, mas ainda não caiu a ficha de a cada segundo que passa, ela cresce. Ela fala sério sorrindo. Ela é complicada. Ela, provavelmente, veio com defeito de fábrica. Ela tem a risada mais estranha existente nesse planeta. Poucas pessoas a entendem, outras poucas sabem o que ela é de verdade e mais poucas ainda querem saber. Ela gosta de ouvir músicas estranhas, sem lógica alguma. Mas pra ela não importa o que você pensa, e se você for falar algo, esteja preparado pra ouvir um “foda-se” bem alto e claro. Ela muda de humor num piscar de olhos, gosta de surpresas, sorrisos espontâneos, abraços longos e apertados. Ela se faz de durona, mas tem um coração mole e frágil. Ela sempre vai saber quando está sobrando numa conversa, ela vai saber também quando teu sorriso for forçado. Ela presta atenção em tudo, mas quando tu perguntar, ela vai se fazer de desentendida. Ela ama ficar sozinha em casa fazendo seu próprio show. Ela é tudo e nada ao mesmo tempo. Ela só quer ser ela, apenas.
E quem sabe ela não é você? Ketllen Lohana   (via docepoetisa)

(Source: frowsly, via docepoetisa)

“Os dias vão passar, mas não vou me esquecer de ainda querer escutar aquele riso.”
Gabito Nunes.   (via prestigiador)

(via prestigiador)

“Sempre acabo vivendo todo o romance dentro da minha cabeça, sem conseguir ver que lá fora tudo ocorre como num desastre.”
Gabito Nunes.   (via prestigiador)

(via prestigiador)